segunda-feira, 6 de novembro de 2017

Tavapensandoaqui se me pusessem num hospício, por engano.

Tavapensandoaqui se me pusessem num hospício, por engano. Já pensou? Como poderia acontecer uma situação assim, tão maluca? Pode parecer enredo de novela, mas conheço um caso real. Uma vez uma amiga me contou que andava meio estranha, tinha problemas, se sentia sem energia, estava em estado depressivo e os parentes a levaram para uma clinica de tratamento psiquiátrico, dizendo a ela que era uma visita normal ao médico. Chegando lá, ela foi entrevistada e levada a conhecer as dependências da clínica e quando estavam lá dentro eles a pegaram e a internaram. Imagine você sendo levada para um quarto em uma clínica e gritando “Eu não sou louca, eu não sou louca, me soltem!”. Parece maluquice, mas não é. Enquanto você grita e esperneia, os atendentes te seguram e pensam “nossa, pegamos outra louca que não aceita que é maluca”. Coisa de doido, não é mesmo? Então se imagine em uma situação dessas e tente pensar em como se safar dela. Se não me engano tem filmes sobre isso. Você foi colocada em um quarto e foi obrigada a tomar um calmante. Nesse ponto, você apaga e acorda no dia seguinte. Ao seu lado um cara com a mão na barriga se apresenta dizendo ser Napoleão. Você retruca dizendo ser Monalisa, usando seu espírito brincalhão, o qual você descobrirá rapidamente não ser uma boa ideia utiliza-lo. Um atendente escuta sua brincadeira idiota e passa a dizer na clínica que você se acha a Monalisa. Pronto, você recebeu seu diploma de louca. Com louvor. Agora você é conhecida na clínica como a Monalisa, torcendo para não ter algum louco que se considera o Leonardo Da Vinci. Você percebe nesse momento o quanto é inconveniente fazer brincadeiras fora de hora. O enfermeiro passa com o remédio e você recusa-se a tomá-lo. É obrigada a tomar à força e esperneia, machucando um dos atendentes. É imobilizada na cama com as correias prendendo seus braços e pernas. Grita desesperadamente. De nada adianta. Só confirma sua loucura. Presa pelas correias pensa “caralho, fiz merda!”. Eles passam a considera-la perigosa. E você apaga sob os efeitos do remédio. Acorda com os enfermeiros colocando a comida e é solta, prometendo que vai se comportar. Em seguida pede para falar com o médico responsável. Eles a ignoram, você altera o tom de voz e eles te colocam novamente presa na cama, dando-lhe novamente o “sossega leão”. Você acorda e pensa em mudar de estratégia. Agora vai ser boazinha. Quando recebe a visita do enfermeiro derrete-se em sorrisos e simpatia. Eles retribuem a gentileza dos cumprimentos e colocam na sua ficha que você é bipolar. Você passa uns dias se comportando bem para atrair a simpatia de algum atendente, faz amizades com Napoleão, Dom Quixote, Joana D’Arc e Mulher Maravilha. Chega a perguntar a ela se é verdade o caso com o Super Man. Nesse ponto você começa a pensar que é louca. Mas com o passar dos dias consegue arrumar um jeito de fingir que engole a medicação e não a engole. Consegue ficar lúcida por alguns dias e tenta de todas as formas, falar com o médico responsável. É claro que não consegue, pois todo louco diz que não é louco. Descobre os dias das visitas do médico e se prepara para discursar sobre a sua sanidade no dia que ele vier. E agora? Como convencê-lo de que você é normal? Pede conselhos a Sócrates, Platão e Jung que estão por lá. Pensou em falar com Jesus, mas alguns dias atrás ele foi curado quando trouxeram uma cruz para crucificá-lo e ele gritava desesperadamente “eu não sou Jesus, eu não sou Jesus!”. Foi curado com um belo tratamento de choque. Voltando à história da minha amiga, chegou o dia da visita do médico e ela conseguiu convencê-lo sobre sua sanidade. Eu fiquei fascinado pela história dela, ao mesmo tempo em que me mantive a uma distância segura. Vai que... Tenho algumas amigas que não sairiam de lá de jeito nenhum. Tava pensando aqui...

quarta-feira, 1 de novembro de 2017

Tavapensandoaqui que ninguém cruza sua vida por acaso

Tavapensandoaqui que ninguém cruza sua vida por acaso. A pessoa que cruza a sua vida tem algum propósito celestial para ter cruzado a sua vida, pois sabemos que existe um propósito para tudo que está acontecendo. Sabemos? Mesmo? Pra que serve cruzar com as pessoas em nossas vidas? Quem foi que criou essa regra? Será que tudo é tão planejado pelo Universo que pouco importa a nossa opinião e as nossas decisões? Onde entra o livre arbítrio nessa história toda? O acaso não existe? Temos muitos questionamentos e nenhuma certeza sobre nada. Seguimos pensamentos formulados por gurus, ou por filósofos, ou seguimos aproveitadores e charlatões acreditando que nós estamos aprendendo com eles. E eles enriquecem às nossas custas e sacrifícios, pois os cursos que fazemos e pagamos é com o dinheiro que ganhamos com o nosso esforço e suor. Postamos frases de efeitos nas redes sociais para nos sentirmos intelectuais e filósofos. E não seguimos aquilo que postamos, na maioria das vezes. Postamos que “não devemos nos meter na vida alheia” e no minuto seguinte estamos dizendo ao outro o que ele deve fazer para sair de uma determinada situação. Somos os donos da verdade e temos a solução dos problemas dos outros e não conseguimos enxergar que temos os nossos problemas e não conseguimos soluciona-los. Somos hipócritas e temos consciência disso. Quem mais te conhece, além de você mesmo? Pensar é livre. Você pode parar para pensar ou pode pensar andando mesmo. Mas lhe proponho uma questão parecida com a questão “quem nasceu primeiro, o ovo ou a galinha?”. A questão que lhe proponho é a seguinte: se nascemos com nosso destino traçado, onde entra a nossa livre escolha, o nosso livre arbítrio? Se escolhermos seguir um caminho, esse caminho era o nosso destino? Então a escolha não era nossa, pois o nosso destino estava traçado na maternidade (como diria a famosa música). Fiquei em dúvida sobre essa questão. E você, acredita em que? Você é dono do seu próprio destino? Tem certeza? O acaso vai te proteger enquanto você andar distraído? Tava pensando aqui... 

domingo, 22 de outubro de 2017

Tavapensandoaqui que somos todos artistas

Tavapensandoaqui que somos todos artistas. Representamos nossos papéis todos os dias, todas as horas e em cada segundo que vivemos. O artista não é apenas aquele que sobe ao palco para dizer o texto que foi tão bem escrito e ensaiado. Somos pais e cumprimos nosso papel. Somos filhos e somos netos. Somos padrinhos de casamento ou de um batizado. Nesse papel representamos nossa dedicação ao casal ou ao sobrinho querido. E representamos com todo o nosso afinco, com toda a verdade que temos em nossos corações. Na vida não podemos errar quando entramos no palco. Nossa representação é real. Não podemos voltar atrás e repetir a cena em que magoamos alguém com uma atitude mal planejada ou uma palavra pronunciada num momento inadequado. Uma vez produzida a cena, ela vai eternamente para o acervo da vida. Representamos estar felizes quando vamos a um evento festivo, mas podemos ter em nosso íntimo uma questão que nos fere a alma. Igual a um artista da novela. O público não quer ver a tristeza e a angústia em nosso interior. Porém, somos humanos. Nem sempre acertamos nas escolhas de nossos textos. Tem vezes que parecemos não combinar com o papel que estamos representando. O público é exigente e percebe que estamos representando uma farsa. Quando estamos fazendo um papel que não nos agrada, nosso corpo apresenta sinais de desagrado. É uma dor de estômago, é um amargo na boca, é um aperto no peito, é uma doença qualquer que nos avisa que estamos fazendo as coisas de forma errada. Nem sempre percebemos a gravidade desses sintomas e não temos o diretor de cena para nos orientar no caminho certo da nossa representação. Portanto a decisão é sempre nossa. Fazer aquilo que se gosta parece fácil para alguns privilegiados. Comparamos nossas vidas com a vida daqueles que assistimos nas novelas e comparamos com as vidas das outras pessoas que conhecemos. Esquecemos que somente a parte boa de tudo que acontece nessas vidas é nos apresentado quando assistimos as cenas. Tudo o que ocorre nos bastidores de nossas vidas não é visto pelo grande público. Conheci recentemente a parábola do pato, que nadando serenamente no lago nos esconde as suas patas freneticamente se movimentando embaixo da água. Em cima do lago tudo parece sereno e calmo. Somente aqueles com o quais contamos na nossa intimidade sabem quais os tropeços e arranhões que aconteceram nos bastidores das nossas vidas. A produção da peça da nossa vida é muito difícil. Somos todos artistas e nosso palco é a vida, a vida vivida aqui, agora, nesse momento e nesse minuto. Sem ensaio. Pense em cada movimento que vai realizar nesse palco. Lembre-se que a vida é uma só. Aproveite o que ela tem de melhor, dê a mão a quem quer caminhar junto a você. Tava pensando aqui...
Sergio Nogueira

Se gostou, compatilhe.

domingo, 15 de outubro de 2017

Relembrando a crônica do horário de verão

Relembrando a crônica do livro "#Tavapensandoaqui" sobre o horário de verão! O que você acha?
#tavapensandoaqui no horário de verão.
Eu acho que é muita pretensão dizer que nosso metabolismo sofre com a alteração de apenas uma hora. Hora que foi tomada emprestada e vai ser devolvida mais tarde. Tem gente que nas sextas-feiras trabalha direto até 14h. Fica sem o almoço costumeiro das 12h neste dia. Coitado do metabolismo dessas pessoas.
Tenho amigos que postam um monte de fotos indo para a balada na sexta-feira. Fico pensando aqui o quanto o coitado do metabolismo deles sofrem com a alteração de horário. Eles dormirão mais tarde e vão levantar em um horário diferente no sábado.
O médico que é entrevistado pela mídia e informa que o horário de verão faz mal ao metabolismo das pessoas faz um horário de trabalho muito legal para estar dizendo isso na entrevista. Alguns plantões desse profissional são de 24h direto. Bem saudável. Ele deve ter uma rotina bem certinha sem fazer partos na madrugada ou fazer cirurgias de emergência.
Tem gente que costuma “dormir até acordar” no final de semana. O metabolismo deve chorar muito afinal a rotina de despertar às 6h da manhã foi quebrada.
Quem foi mãe recente detona seu metabolismo. Os recém-nascidos não entendem o que é dormir a noite toda e ficam acordando umas três vezes na madrugada.
Amigos meus que pedalam no final de semana acordam mais cedo e acabam com seu metabolismo. Acho que a Associação dos Metabolismos deve estar fazendo protestos na Avenida Paulista reclamando do horário de verão.
Parentes foram recentemente para Orlando e estavam “muito preocupados” com o fuso horário que era de uma hora, pois o metabolismo deles seria afetado pela mudança. Coitados, chegariam à Disney acabados pela diferença de uma hora não poderiam se divertir por causa disso. Fiquei morrendo de pena.
Uma amiga trabalhava num serviço e trocou de emprego, mas ela iria trocar a hora do almoço. Gente, que pena. Ela almoçava ao meio dia, mas no novo emprego o horário dela seria às 13h.
Tentei convencê-la a não mudar, pois o metabolismo dela seria prejudicado! Mas ela não me ouviu, cortei relações.
Outra amiga me disse que no sábado e domingo não tem horário para acordar e nem para almoçar. Ela passeia no parque, anda de bicicleta e come um monte de besteiras. Eu quase pirei.
Outra disse que sai para trabalhar na madrugada quando é chamada. Nossa, que heresia. Um casal disse que uma vez perdeu um show da banda de axé porque seria muito tarde e eles dormiam sempre cedo para manter em ordem seu metabolismo.
Um amigo disse que o cliente queria uma reunião para fechar um grande negócio na hora do almoço! Ele recusou, nem pensar. E o metabolismo dele como ia ficar?
Outro amigo disse que precisaria fazer hora extra para implantar um grande projeto que traria benefícios imensos para a empresa e não fez de jeito nenhum. Os metabolismos de ambos agradeceram imensamente. Eles estão procurando emprego agora, quem souber de algo me avise.
Quanta bobagem. Isso é hora de publicar texto, são quase uma hora da manhã! Não é não, meu metabolismo acha que ainda nem é meia-noite, pois o horário de verão acaba de começar. Tava pensando aqui...
Gostou? Deixe seu comentário e compartilhe. Curta essa página do Facebook - Tavapensandoaqui - com as minhas crônicas e compartilhe também! Compre meu livro pela internet (também em e-Book). Ajude a divulgar o meu trabalho. Um beijo do magro!

quarta-feira, 11 de outubro de 2017

Tavapensandoaqui em mudar o mundo

Tavapensandoaqui em mudar o mundo. Vou erradicar a fome pegando as riquezas dos grandes empresários, das grandes empresas e distribuindo-as para quem precisa. Vou garantir a paz mundial ao reunir os líderes do ocidente e do oriente, na Índia perto do Taj Mahal, e avisar que a paz é mais importante que a guerra. Vou reunir todas as religiões, lá em Aparecida do Norte, para uma conversa franca e dizer a todos eles que Deus ficaria orgulhoso com a união de todas elas em busca da harmonia entre os povos. Vou fazer um grande programa de conscientização mundial para eliminar de vez com a corrupção, dando real tratamento a esses pobres de espírito e de alma, seres inferiores e desprezíveis que roubam em benefício próprio. Ou seja, prisão neles. Pediria aos cientistas que fizessem menos pesquisas para descobrir novas armas de destruição e focassem mais na cura de doenças e no prolongamento da vida dos seres humanos. Você me perguntaria, mas por que eu pediria para fazerem menos pesquisas para armas de destruição, ao invés de impedir a realização de todas as pesquisas em armamentos? É que ainda temos que nos prevenir contra os extraterrestres, pois eles podem invadir o nosso planeta com más intenções e estaremos prontos para combatê-los com torpedos “fotônicos” e canhões de raios laser, igual aos que tem na minha série favorita. Nunca se sabe, é bom prevenir. Que pena que tenho pouco poder para fazer tudo isso. Acho que eu seria eleito presidente do mundo se conseguisse colocar em prática essas ações. Mas só tenho poder de mudar aquilo que está ao meu alcance. O que está ao meu alcance para mudar o mundo? Quando me perguntaram pela primeira vez “O que você pode fazer para mudar o mundo?” eu pensei que eu era muito pequeno para fazer alguma coisa para mudar o mundo. Claro que os pensamentos que tive ao ouvir a pergunta foram muito grandiosos, foi mais ou menos nessa linha de pensamentos que escrevi acima. E achei que era difícil fazer algo sozinho para mudar o mundo. E pensando melhor, entendi o significado da pergunta. Todos juntos podemos mudar o mundo. Como? Com pequenas atitudes. Comecei a elencar essas pequenas atitudes e fiz uma lista. Eu posso começar pela minha própria casa. Se eu fizer uma ação por dia e incorporar esse hábito ao meu dia a dia, eu vou conseguir mudar o mundo. Se eu incentivar meus amigos a fazerem o mesmo, aos poucos o mundo será outro. E será mais agradável viver nele, para nós e para nossos filhos e netos. Que atitudes seriam essas? Economizar água e energia elétrica, pois consome menos recursos hídricos do planeta. Posso fazer isso na minha casa desligando aparelhos que não estão em uso, apagando luzes em locais onde não estou. Reduzir o uso de água nas pequenas ações caseiras é bom. Evitar desperdícios também é uma forma de salvar o planeta assim como usar material reciclável e consumir apenas o necessário nos produtos de limpeza e nas refeições. Doar as nossas coisas materiais para os menos favorecidos é uma atitude louvável. Ao sair de casa, respeitar as leis é uma maneira de respeitar ao próximo. Obediência à sinalização quer seja pelos pedestres, ciclistas, motociclistas, motoristas é uma atitude que ajuda a melhorar o mundo. Ajudar as pessoas participando de atividades beneficentes de forma voluntária ajuda o mundo e a você. Sorrir mais, cumprimentar as pessoas, reclamar menos e respeitar a opinião dos outros sem se meter na vida deles também mexe com a energia do planeta. São coisas pequenas que fui me lembrando de listar para melhorar o mundo. E você, faz alguma coisa para melhorar o mundo? Tava pensando aqui...

quinta-feira, 5 de outubro de 2017

Tavapensandoaqui que hoje seria difícil escolher uma mulher

Tavapensandoaqui que hoje seria difícil escolher uma mulher. Aquela para casar e formar um lar. Antigamente bastava para as mulheres serem belas, recatadas e do lar. Esses atributos definiam a mulher para casar e viver a vida até que a morte de um dos cônjuges os separasse. Hoje temos tantas mulheres que a escolha ficou quase impossível. Antigamente para casar o homem escolhia uma mulher de família. Que soubesse costurar, lavar, passar, cozinhar, varrer. Podia até saber ler. Virgem. De qualquer signo, mas virgem, que não tivesse tido contato com outro homem. Os casamentos aconteciam cedo, casavam-se jovens e sonhavam em ter filhos e netos. Para os homens, sonhavam com empregos fixos que durassem até a aposentadoria. As mulheres apenas cuidavam da casa e da família, sonhavam em ser boas esposas. O tempo foi passando e as mulheres conseguiram conquistar sua independência em vários lugares do mundo, em outros lugares ainda não. Antigamente existia a mulher traída. Hoje existe a mulher que trai. Direitos iguais. Antigamente existia a mulher mandada. Hoje ela manda também. Antigamente ela abaixava a cabeça, hoje ela discute a relação. Antigamente ela cuidava da casa e hoje ela administra a casa, com o marido dividindo as tarefas. Antigamente as posições das mulheres nas empresas eram as posições de servir, eram secretárias, recepcionistas, faxineiras, copeiras, auxiliares. Hoje elas chefiam pessoas, chefiam departamentos, chefiam empresas inteiras. Muitas vezes no casamento, ela ganha mais dinheiro que o homem. Comigo aconteceu isso, no começo eu ganhava muito e agora ela ganha mais. Não senti diferença alguma. Comemorei, ainda bem que alguém ganha o suficiente para sustentar a família. Então, voltando à questão inicial, como escolher uma mulher nos dias de hoje? Mulher de fases? A guerreira, a empregada, a submissa, a dominadora, a materialista, a sonhadora, a insegura, a confiante, a que quer ser mãe, aquela que não quer filhos, aquela que está sempre junto, aquela que é independente, aquela de dirige, aquela que muda de humor sempre, aquela que é bem humorada, aquela que é séria, a outra que é descolada, a outra que atrai a atenção sempre, aquela que se veste bem ou aquela que se despe melhor ainda? Qual o critério de seleção? Alguém respondeu “AMOR”? Tava pensando aqui...

terça-feira, 3 de outubro de 2017

Tavapensandoaqui no ultimo show

Tavapensandoaqui no ultimo show. Os preparativos estavam em sigilo, ninguém tinha certeza da data. Na véspera todos foram avisados, aviso esse recebido com os olhos arregalados de surpresa. É assim mesmo, ninguém está preparado para o ultimo show. Assim como se arregalaram, todos os olhos marejaram de lágrimas e alguns transbordaram como cachoeira. Mas fazer o que? Estava marcado e pronto. No dia seguinte o publico foi chegando, pouco a pouco se aglomerando e se abraçando à espera da chegada da famosa estrela. A chuva trazia a tristeza daquele dia que todos não esperavam, mas que um dia chega para todos nós. Pequena confusão na bilheteria, em relação ao horário do espetáculo, logo esclarecido pelos organizadores e mantido no horário combinado inicialmente. Entre o público, as conversas rolavam sobre as obras maravilhosas da artista, de tudo que ela ensinou para cada um. Uns falavam dos talentos da artista em tirar delas o máximo possível. Outras falavam dos talentos da criadora e arranjadora de espetáculos musicais. Outras comentavam sobre as broncas homéricas que levavam quando cometiam alguma insanidade. Outros lembravam as cômicas situações com as quais se envolviam nas apresentações. Outros se lembravam dos conselhos da grande amiga e confidente. Outros comentavam sobre o pouco tempo de convívio e sobre o quanto lamentavam não poder mais aprender com ela. Chegada a hora, foi confirmada a chegada da artista que estava em seus últimos preparativos. Feita a chamada para o inicio da cerimônia, o publico adentrou o recinto. A chuva persistente e incômoda parou pouco antes do início do espetáculo. Feitas as devidas honras o publico se emocionava a cada cena. Por fim ia chegando o final do show. O sol aparecia iluminando aquele dia que amanheceu chato e sombrio. Todos foram cumprimentar a artista após a sua última aparição e dar seu último adeus. Aplausos efusivos e com o publico em pé terminaram a apresentação. O portal de passagem foi aberto por Deus. O céu abriu e todas as nuvens se esconderam para dar espaço para a passagem da artista em direção à sua nova morada. Enquanto fechavam-se as cortinas pela ultima vez sentia-se no ar o aceno da artista iluminando a todos os fãs incondicionais. Uma palavra a define: música. Vai com Deus. Esposa, filha, mãe, irmã, cantora, produtora, artista, astróloga, professora, deusa, bruxa, fada, musa, amiga e mulher. Sincera e verdadeira em seus comentários. Fã das minhas crônicas, incentivadora de outros talentos que nem eu mesmo sabia que tinha. Dois anos de convivência e de crescimento da minha parte. Apenas dois anos juntos, compartilhada com um grupo genial de pessoas. Por que se foi tão cedo? Um ano mais velha que eu, só isso. Vai Fernanda Gianesella (01-10-2017). Fale com Deus. Chegue à frente dele e diga: “Bom dia, tudo bem” (com respeito, né, afinal o cara é Deus). “Eu fui lá e arrasei. Sou foda!”. Prepare o palco, prepare o coro angelical, afine as harpas, os violinos e as trombetas. Espere por nós, sentada em seu banquinho branco tocando o violão, estaremos com você um dia. Essa certeza eu tenho. Tava pensando aqui...